quinta-feira, 17 de março de 2011

Nihonjin

Dada a gravidade da situação nos reatores da usina de Fukushima, 50 trabalhadores permanecem nas instalações da central de Fukushima dando suas próprias vidas para resfriar os reatores danificados e o material irradiado, evitando um acidente nuclear ainda maior no país.

Em um ambiente contaminado pelos altos níveis de radiação, estes funcionários da companhia Tokyo Electric Power (Tepco) tentam resolver os problemas provocados pelo colapso dos sistemas de resfriamento e alimentação elétrica da central. Este colapso já causou a fusão parcial de três dos reatores da central e a exposição das barras de combustível, que também ameaçam entrar em fusão, ao ar livre, liberando na atmosfera quantidades consideráveis de elementos radioativos.

Estes últimos trabalhadores presentes na central, após o terremoto seguido de tsunami da última sexta-feira, foram retirados do local por um momento ontem, quando o nível de radioatividade aumentou de maneira alarmante.

Nós sabemos que é pouco provável que eles sobrevivam, dependendo da dimensão das exposições à radiação, pois há um limite para as roupas anti-biohazard, é difícil proteger da radiação muito forte. No acidente em Chernobyl, nenhum dos trabalhadores que trabalharam na construção da estrutura de blindagem à radiação sobreviveu.


Estes são homens que não se importam em dar sua vida pelo seu povo.

São em negros tempos, de dor e destruição, que redescobrimos o significado da palavra que pôde resumir toda a cultura de um povo como o japonês.

Honra.

Um comentário:

Lo Scienziato. disse...

A parada é trocar por reatores Mako.