quinta-feira, 17 de março de 2011

Nihonjin

Dada a gravidade da situação nos reatores da usina de Fukushima, 50 trabalhadores permanecem nas instalações da central de Fukushima dando suas próprias vidas para resfriar os reatores danificados e o material irradiado, evitando um acidente nuclear ainda maior no país.

Em um ambiente contaminado pelos altos níveis de radiação, estes funcionários da companhia Tokyo Electric Power (Tepco) tentam resolver os problemas provocados pelo colapso dos sistemas de resfriamento e alimentação elétrica da central. Este colapso já causou a fusão parcial de três dos reatores da central e a exposição das barras de combustível, que também ameaçam entrar em fusão, ao ar livre, liberando na atmosfera quantidades consideráveis de elementos radioativos.

Estes últimos trabalhadores presentes na central, após o terremoto seguido de tsunami da última sexta-feira, foram retirados do local por um momento ontem, quando o nível de radioatividade aumentou de maneira alarmante.

Nós sabemos que é pouco provável que eles sobrevivam, dependendo da dimensão das exposições à radiação, pois há um limite para as roupas anti-biohazard, é difícil proteger da radiação muito forte. No acidente em Chernobyl, nenhum dos trabalhadores que trabalharam na construção da estrutura de blindagem à radiação sobreviveu.


Estes são homens que não se importam em dar sua vida pelo seu povo.

São em negros tempos, de dor e destruição, que redescobrimos o significado da palavra que pôde resumir toda a cultura de um povo como o japonês.

Honra.

terça-feira, 15 de março de 2011

"I Get up" parte I

Foda-se, tinha escrito um texto enorme com esse mesmo titulo fazem 3 semanas mais ou menos, mas não postei, sei lá, acho que bem ou mal eu sabia que não refletia de verdade o que eu sentia, estava muito feliz mas sem motivo nenhum, só que, assim como tudo na vida, sempre existe um motivo e quando não se acha um motivo pra alguma coisa pode ter certeza que algo está escondido ali, no meu caso estava tentando esconder uma profunda tristeza com a minha situação, mesmo tendo tudo pra não precisar estar passando por isso.
Mas que se foda, as vezes se pode ter tudo e mesmo assim se sentir miserável, alias, isso é bem mais comum do que se parece... Não vou mentir, tenho coisas que muitas pessoas não tem, ou tem de forma incompleta, uma família bem estruturada e fundamentada em valores importantíssimos como: honra, conhecimento, lealdade, respeito, honestidade e amor. Na parte material também não posso reclamar, tenho tudo o quero e muitas das vezes até o que eu não quero / pedi. Isso me mimou, bem ou mal, as coisas caem do céu pra mim, não digo que já não passei dificuldade ou lutei pra conseguir algo, sempre temos nossas conquistas, grandes ou pequenas, e nem tudo foi sempre tão fácil aqui em casa, no entanto, eu deixo as vezes de ir em busca dos meus ideais por medo de botar minha cara a tapa, medo de ser julgado, medo de me fuder, ao invés de usar o que eu já tenho pra crescer e alcançar novos patamares por meu esforço, eu me acomodo na mediocridade, escolho ficar em minha zona de conforto esperando que as coisas se acertem, isso me mata aos poucos e me priva de um dos maiores prazeres da vida, olhar o que você construiu e dizer "Essa porra fui EU que fiz."
Eu sou o meu maior juiz, eu julgo tudo que faço por ser extremamente analítico e isso faz com o que eu me cobre muito, não me deixo errar e erro exatamente por isso, só que eu esqueço que não sou diferente de ninguém, já dizia o pagode: "Todo mundo erra, todo mundo vai errar.", todo filho da puta erra, só Chuck Norris e Charlie Sheen que não, ou seja, por que eu me cobro tanto se eu não sou diferente de ninguém? Se eu me colocar por baixo sempre, sempre estarei lá, e porra, eu não mereço estar por baixo, eu não tenho motivos para estar por baixo, muito pelo contrário, eu sou muito melhor do que eu acho que sou, e sou melhor que a maioria das pessoas, foda-se, se eu não pensar assim quem vai passar por mim? O mundo é um lugar onde todo mundo tenta fuder todo mundo, sim, uma grande suruba, que se você bobear vão ter comido seu cu e tu não meteu em ninguém (mamonas oe), e eu não quero terminar com o cu ardido e o pau na mão, não quero e não vou!
Me faltava garra, força de vontade pra realizar minhas conquistas, sempre tive sonhos muito bonitos, mas sonhos sem essas duas coisinhas são apenas palavras ao vento e já estou cansado de proferi-las. Agora a briga de foice vai começar, vou apanhar muito, mais que se foda, o importante é aprender e crescer com isso, so bring it on mothafucka!
Ao som de: J.Cole - I Get Up