terça-feira, 17 de novembro de 2009

I-Doser funciona?

O cérebro possui 2 hemisférios. Cada lado é estimulado por 1 olho e 1 ouvido.

Na soma dos 2, criamos um "efeito 3D" (ondas cerebrais resultantes que "equilibram" as diferenças dos dois lados).

Sabemos também que as emoções variam conforme os pulsos do cérebro. I Doser, Neural Beats, entre outros, são projetos para explorar as ondas do cérebro nesse sentido.

Cria-se um "protocolo" que é um conjunto de ondas capazes de fazer o cérebro "responder" a um ambiente virtual desejado(por exemplo o de uma droga).

Este ambiente novo é gerado porque, em cada ouvido, mandamos pulsos de diferentes frequências. O cérebro compara as frequências e cria, internamente uma frequencia resultante.

Cada pessoa possui uma faixa crítica de ressonância. Dependendo de fatores genéticos e do uso de substâncias químicas(alimentos e outros), o cérebro interage melhor ou pior. Além disso, é desaconselhável usar esta tecnologia para pessoas com epilepsia, ou que consumam alguns tipos de drogas fortes(pois pode danificar o cérebro).

Se I Doser funciona? Pode funcionar. A questão depende de quanto e como você usa.

Em 5 minutos o cérebro "reconhece" um padrão. Em 30 minutos "a viagem começa".

As frequencias "anti naturais" podem danificar seu cérebro... I Doser possui pulsos rápidos que(a princípio) geram insônia e tensão. A médio e longo prazo, com frequente uso, podem ocorrer mudanças neurológicas anti naturais.

De todo modo, é melhor usar I Doser do que se arriscar com drogas "reais". A experiência vale.

Existem faixas de frequência benéficas e outras mais perigosas. Simula-se um efeito de drogas, criando um "efeito alucinogênico".

A tecnologia bineural existe há menos de 15 anos como ciência reconhecida. Existem mais de 70 mil estudos concluidos, mas a coisa é recente. Mais de 30 milhões depessoas a usam para fins terapêuticos nos EUA. I Doser não possui fim terapeutico, no entanto.


Dica: se o I-Doser não funcionou com você, teste 3 doses de vodka antes. Assim que fizer efeito, dê o play.

Nenhum comentário: